Notícia - Artigo

#TraintasticTales - Conheça os vencedores do Concurso Cultural

This was published under the 2010 to 2015 Conservative and Liberal Democrat coalition government

Será que voce foi um dos ganhadores dos kits da campanha GREAT Britain?

placeholder

Com mais de 40 respostas, foi difícil escolher os vencedores do concurso cultural #TraintasticTales. Foram tantos as historias que poderiamos ter premiado ao menos dez ganhadores! Mas depois de várias leituras e alguns debates, os vencedores são:

1) Janaína Horn - Esteio (RS)

“Eu tenho um filho de cinco anos, e ele tem verdadeira fascinação por música… Pegamos o trem todos os dias, pois moramos em uma cidade e ele estuda em outra. Certa tarde, quando eu o levava para a escola, ele viu um rapaz com um violão, sentado no chão, dedilhando alguns acordes. Ele ficou encarando o rapaz por alguns minutos, até perguntar, bem alto: “Moço, você sabe tocar ‘róquinrrol’?”. O rapaz riu de leve, e perguntou o que ele gostaria de ouvir. “Eu quero uma música dos ‘Bítus’! Você sabe tocar ‘Rádeisnai’?”. O rapaz me olhou com cara de dúvida, e eu esclareci: “A Hard Day’s Night. É a música favorita dele”. “Ah, guri”, ele respondeu, “Mas essa música é muito difícil, eu não sei falar inglês direito! Tu canta junto comigo?” Meu filho levantou do meu colo, e por todo o resto do trajeto, o rapaz foi tocando violão e meu pequeno foi dançando e cantando (à sua própria maneira) sua música favorita dos Beatles, enquanto os demais passageiros riam e aplaudiam.”

2) Tatiana dos Santos - Bauru (SP)

“Todo mundo já paquerou no tube. Comigo não foi diferente. Em Londres, sempre que descia na Russell Square, dava aquela espiada no funcionário do underground. Como olhar não adianta de nada, um dia fiz cara de dó e contei uma mentirinha para puxar assunto, dizendo a ele que tinha perdido o meu cartão de transporte. Acontece que eu não contava que estava sendo observada. “Engraçado, lady, acabei de ver você passando seu Oyster na catraca” , disse o moço. Dei uma engasgada, fiquei com a cara queimando e nem consegui argumentar. É claro que ele já tinha percebido meu flerte e, por sorte ou destino, voltei ao Brasil com namorado inglês no bolso.”

3) Camila Silva Mendes - Guarulhos (SP)

“Certa vez, estava indo a faculdade, quando sentei-me ao lado de um senhor muito simpático. Logo que me sentei ele puxou papo: “Linda manhã, não bela moça?”… e assim nossa conversa começou. Conversamos durante todo o percurso, sobre tudo. Ele elogiou minha voz e contou me um pouco sobre sua profissão - massagista - e ainda disse que era raridade encontrar jovens dispostas a conversar. Quando descemos do metrô para fazermos uma baldeação, ele me pediu que o levasse até o setor de atendimento do metrô e me estendeu a mão, e assim que segurei em sua mão, ele se segurou em meu braço e tirou do bolso uma varinha dobrável, a guia de cegos. Só então, percebi que aquele senhor não enxergava, e pude dar mais valor ainda a aquele momento. Ele me contou que percebeu que era uma jovem moça pelo perfume e timbre de voz, e percebeu minha simpatia pelas respostas e por algo que ele se referia como “sorrir com a voz”. Aquela viagem, mudou meu jeito de enxergar a vida, por incrível que pareça, com um senhor que não enxergava. O Sr. Orlando me fez valorizar os pequenos detalhes que tornam a vida mais feliz e os momentos únicos.

Published 4 Dezembro 2014