Notícia - Artigo

Declaração dos Líderes do G-7 sobre a Ucrânia

This world location news article was published under the 2010 to 2015 Conservative and Liberal Democrat coalition government

Líderes do G7 pedem à Rússia, em comunicado, o fim de todas as ações para anexar a península ucraniana da Crimeia

Nós, os líderes do Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido, Estados Unidos, presidente do Conselho Europeu e o presidente da Comissão Europeia, exortamos a Federação Russa o cessar de todos os esforços para alterar o status da Crimeia contrário à lei ucraniana e em violação ao direito internacional. Exortamos a Federação Russa a suspender as ações de apoio ao referendo no território da Crimeia relacionado ao seu status e que está violando diretamente a Constituição da Ucrânia.

Qualquer referendo desse tipo não teria nenhum efeito legal. Devido à falta de elaboração adequada (do referendo) e da presença intimidadora das tropas russas, esse seria também um processo profundamente deficiente que não teria nenhuma força moral. Por essas razões, nós não reconheceríamos o resultado.

A anexação da Crimeia à Rússia seria uma clara violação à Carta das Nações Unidas; ao compromisso da Rússia delineado no Ato Final de Helsinki; à sua obrigação para com a Ucrânia sob o Tratado da Amizade, Cooperação e Parceria de 1997; ao Acordo-Base de 1997 entre Rússia e Ucrânia; e, aos compromissos do Memorando de Budapeste de 1994. Somando-se ao seu impacto na união, soberania e integridade territorial da Ucrânia, a anexação da Crimeia poderia resultar em graves implicações de ordem legal que protegem a união e a soberania de todos os estados. Caso a Federação Russa tome essa medida, nós adotaremos ações adicionais, individual e coletivamente.

Exortamos a Federação Russa a imediatamente contra-escalar o conflito na Crimeia e outras partes da Ucrânia, reduzir suas forças aos números e guarnições pré-crise, iniciar discussões diretas com o Governo da Ucrânia, e recorrer às ofertas de mediação e observação internacional para lidar com qualquer preocupação legítima que possa ter. Nós, os líderes do G-7, exortamos a Rússia a se unir a nós para trabalharmos juntos por via diplomática para resolver a crise atual e apoiar o progresso para uma Ucrânia soberana, independente, inclusiva e unida. Lembramos também à Federação Russa nossa decisão de suspender participação em qualquer atividade relacionada à preparação da reunião do G-8 em Sochi até que o curso dos eventos mude e a situação retorne a um patamar onde o G-8 possa ter discussões significativas.