Instrução

Estatuto dos cidadãos da UE no Reino Unido: o que necessita de saber

Informação para os cidadãos da União Europeia a residir no Reino Unido.

Esta página será atualizada com as informações mais recentes sobre o estatuto dos cidadãos da União Europeia (UE) (ver a nota 1) e das suas famílias no Reino Unido.

O governo do Reino Unido chegou a um acordo com a União Europeia relativamente aos direitos dos cidadãos, nas negociações sobre a saída do Reino Unido da UE. Este acordo providencia factos concretos sobre o futuro de milhões de cidadãos da UE e das suas famílias no Reino Unido. Para além disso, irá permitir-lhe permanecer aqui depois de sairmos da UE em 29 de março de 2019 e continuar a ter acesso a fundos e serviços públicos.

De momento, os cidadãos da UE a residir no Reino Unido não necessitam de fazer nada. O estatuto dos cidadãos da UE a residir no Reino Unido não se irá alterar, enquanto o Reino Unido permanecer na UE. Se desejar manter-se atualizado(a) com as informações mais recentes, pode optar por receber atualizações por correio eletrónico (em inglês).

Nota 1: Estamos em discussões com a Noruega, Islândia, Liechtenstein e Suíça, para garantir o estatuto dos seus cidadãos que são residentes no Reino Unido, bem como dos cidadãos do Reino Unido nesses países. Tendo em conta que os direitos dos cidadãos britânicos e irlandeses estão previstos na Lei sobre a Irlanda de 1949 (Ireland Act 1949), os cidadãos irlandeses não necessitam de requerer o estatuto de residente permanente (settled status).

Pode consultar mais informações sobre o que os cidadãos do Reino Unido a viajar e a viver na Europa necessitam de saber.

Acordos sobre os direitos dos cidadãos da UE e das suas famílias

Acordos sobre os direitos dos cidadãos da UE e das suas famílias:

  • Em 29 de março de 2019, os indivíduos que tenham estado a viver aqui contínua e legalmente durante um período de 5 anos poderão requerer a permanência por duração ilimitada ao obterem o estatuto de residentes permanentes (settled status). Portanto, poderão viver no Reino Unido, ter acesso a fundos e serviços públicos e requerer cidadania britânica.

  • Os indivíduos que cheguem ao Reino Unido até ao dia 29 de março de 2019, mas que não tenham estado a viver no país contínua e legalmente durante um período de 5 anos quando sairmos da UE, poderão requerer o direito a permanecer no Reino Unido até passarem o limiar dos 5 anos. Nessa altura, poderão também requerer o estatuto de residentes permanentes (settled status).

  • Os familiares que estejam a viver com, ou venham viver com, cidadãos da União Europeia no Reino Unido em 29 de março de 2019 poderão, também, requerer o estatuto de residentes permanentes (settled status), normalmente depois de terem estado a viver no Reino Unido durante 5 anos.

  • Os familiares próximos (cônjuges, parceiros civis e parceiros sem serem casados, filhos(as) e netos(as) dependentes, bem como pais e avós dependentes) poderão juntar-se aos cidadãos da UE depois da saída, desde que a relação já exista em 29 de março de 2019.

Os cidadãos da UE com o estatuto de residentes permanentes (settled status) ou com autorização de residência temporária continuarão a ter o mesmo nível de acesso aos serviços de saúde, pensões e outras prestações de que gozam atualmente no Reino Unido.

Poderá consultar o relatório conjunto, para aceder a mais informações sobre o acordo celebrado entre o Reino Unido e a União Europeia relativamente aos direitos dos cidadãos.

Consulte os nossos estudos de casos, para ver exemplos de como a saída do Reino Unido da UE afetará o estatuto dos diferentes cidadãos da UE.

EU citizens' rights flowchart (Portuguese)

Avaliação dos pedidos de estatuto de residente permanente (settled status)

Poderá requerer o estatuto de residente permanente (settled status), se for um cidadão, ou familiar de um cidadão, de um país da UE. Chegámos a um acordo com a UE, para que as condições dos cidadãos da UE, bem como dos seus familiares, para obtenção do estatuto de residência permanente (settled status) no Reino Unido sejam as mesmas, ou mais generosas, do que previstas na atual Diretiva relativa à livre circulação. Na maior parte dos casos, isto significa que necessitará de 5 anos de residência contínua e permanente no Reino Unido. Os critérios serão incluídos no acordo para a saída celebrado entre o Reino Unido e a UE.

Se cumprir os critérios e apresentar um requerimento válido, ser-lhe-á atribuído o estatuto, a não ser que:

  • não esteja a residir no Reino Unido em 29 de março de 2019 (ver nota 2)
  • o seu pedido seja recusado, com base em graves condenações penais ou por razões de segurança

O acordo de saída tornar-se-á parte da lei do Reino Unido e, por isso, o Home Office (Ministério do Interior) não poderá recusar um pedido por uma razão que não esteja prevista no acordo.

Poderá consultar mais informações (em inglês) sobre os nossos procedimentos propostos para processar os pedidos de residência permanente (settled status).

Nota 2: A não ser que seja um familiar próximo de um cidadão da UE a viver no Reino Unido, mas esteja a viver fora do Reino Unido quando este sair da União Europeia.

Candidatura para o estatuto de residente permanente (settled status)

Os cidadãos da UE e os seus familiares terão de requerer os documentos relativos ao seu estatuto. A obtenção deste estatuto irá provar (por exemplo, a entidades empregadoras ou a fornecedores de serviços públicos) que têm permissão para continuar a viver e a trabalhar aqui no futuro.

A taxa a pagar pelo requerimento não será mais do que a taxa cobrada aos cidadãos britânicos por um passaporte do Reino Unido. Se já estiver na posse de um documento de residência permanente válido, não terá de pagar a taxa.

Estamos a fazer o processo de candidatura o mais eficiente, rápido e fácil de utilizar possível. Utilizaremos dados do governo existentes para limitar a quantidade de evidência que necessitará de apresentar. Por exemplo, os registos de emprego do HMRC (Ministério das Finanças Britânico) fornecer-nos-ão o seu historial de trabalho.

Como um cidadão da UE a candidatar-se ao esquema, será obrigado(a) a:

  • fornecer um documento de identidade e uma fotografia recente para confirmar a sua identidade e nacionalidade
  • declarar eventuais condenações penais

Não será obrigado (a) a:

  • detalhar todas as viagens que fez para fora do Reino Unido
  • apresentar evidência de que tem cobertura extensa de seguro de doença
  • fornecer as suas impressões digitais

Esperamos que o formulário de candidatura em linha esteja disponível em fins de 2018. Opte por receber atualizações por correio eletrónico (em inglês).

O Home Office irá disponibilizar apoio para assegurar que o seu pedido não é recusado como resultado de simples erros ou omissões. Contactá-lo(a)-emos se acharmos que cometeu uma simples omissão para que a corrija. Também o(a) informaremos se necessitar de apresentar mais evidência antes de ser tomada uma decisão. Para que os indivíduos tenham tempo suficiente para se candidatarem, o período de candidaturas do esquema permanecerá aberto durante um período de tempo razoável (pelo menos 2 anos) depois do Reino Unido sair da UE. Durante este período, os seus direitos no Reino Unido estarão protegidos. Se apresentar uma candidatura para o esquema, mas não receber uma decisão antes do final deste período, poderá continuar a viver aqui até que seja tomada uma decisão.

Estatuto de residência permanente a abrigo da lei da UE

Enquanto o Reino Unido permanecer na UE, não necessita de requerer um documento para provar que vive no Reino Unido, a não ser que:

  • seja um familiar afastado de uma pessoa do Espaço Económico Europeu (EEE) ou da Suíça

  • queira requerer cidadania britânica

  • queira ser o requerente do visto do(a) seu(sua) parceiro(a), de acordo com os Regulamentos de Imigração

Um documento de residência permanente confirma que tem direitos previstos na lei Europeia. No futuro, o direito da UE já não será aplicável e a migração e os direitos dos nacionais da UE ficarão sujeitos ao direito do Reino Unido.

Haverá um processo simples para o trocar por um documento de residência permanente (settled status) gratuitamente e a sua residência não será reavaliada.

Será obrigado(a) a:

  • fornecer um documento de identidade e uma fotografia recente para confirmar a sua identidade e nacionalidade

  • confirmar que ainda vive no Reino Unido

  • declarar eventuais condenações penais

Opte por receber atualizações por correio eletrónico (em inglês) relativamente a quando poderá apresentar a candidatura para permanecer no Reino Unido sob o novo esquema de residência permanente (settled status) e que medidas deve tomar.

Autorização de residência de duração ilimitada (indefinite leave to remain)

O estatuto de residência de duração ilimitada (Indefinite leave to remain) não será afetado pela saída do Reino Unido da UE.

Quando o processo de candidatura para o estatuto de residência permanente (settled status) abrir, existirá um processo simples para trocar o seu antigo documento de estatuto de residência de duração ilimitada (Indefinite leave to remain) por um documento de estatuto de residência permanente (settled status) gratuitamente, se desejar evidenciar que beneficia do acordo de saída da UE. Não repetiremos a avaliação de residência

Será obrigado(a) a:

  • fornecer um documento de identidade e uma fotografia recente para confirmar a sua identidade

  • confirmar que ainda vive no Reino Unido

  • declarar eventuais condenações penais

Pode requerer um título de residência biométrica se desejar um documento atualizado a confirmar que tem atualmente o estatuto de residência de duração ilimitada (Indefinite leave to remain).

Cidadãos da UE que cheguem ao Reino Unido depois da saída da União Europeia

Depois de o Reino Unido sair da UE em 29 de março de 2019, irá haver um “período de implementação” de cerca de 2 anos, para preparar e implementar os nossos futuros acordos com a UE.

Os cidadãos da UE, bem como os seus familiares, que cheguem ao Reino Unido durante o período de implementação poderão viver, trabalhar e estudar aqui, como acontece atualmente. Contudo, deverão registar-se com o Home Office (Ministério do Interior) se tencionarem permanecer no Reino Unido durante mais de 3 meses. Iremos publicar mais informações sobre este regime de registo assim que possível.

Propomos que o seguinte regime se aplique a todos os cidadãos da UE, bem como aos seus familiares, que cheguem ao Reino Unido (e se tenham registado) durante o período de implementação e que queiram permanecer subsequentemente:

  • Depois de um período de residência contínua e legal no Reino Unido durante um período de 5 anos, poderão requerer a permanência por duração ilimitada.

  • Possibilidade de candidatura a um estatuto temporário, previsto da legislação do Reino Unido, que os permitirá permanecer após o fim do período de implementação. Isto significa que poderão continuar a trabalhar, estudar ou a ser autossuficientes até atingirem o limiar de 5 anos.

  • Necessitarão de candidatar-se a este estatuto temporário durante o período de implementação ou nos 3 meses após o fim desse período.

  • Depois do fim do período de implementação, os familiares dos cidadãos da UE (que tenham chegado durante esse período) podem reunir-se com estes aqui, mediante disposições semelhantes às que se aplicam a familiares não britânicos de cidadão britânicos que se queiram reunir com estes.

  • Os cidadãos da UE que vivam na UE mas viagem para trabalhar no Reino Unido durante o período de implementação poderão requerer autorização para continuar a fazê-lo depois do fim deste período.

Estas disposições são diferentes do regime de residência permanente (settled status) que se encontra disponível para cidadãos da UE a residir legalmente no Reino Unido antes de 29 de março de 2019.

Os cidadãos irlandeses não necessitarão de se registar ou de requerer a autorização de residência.

Pode consultar mais informações sobre os cidadãos da UE que cheguem ao Reino Unido durante o período de implementação.

Quanto aos cidadãos da UE que cheguem após o fim do período de implementação, estamos a considerar cuidadosamente um leque de possibilidades para o futuro sistema de imigração e iremos definir os nossos planos nos próximos meses. Requeira atualizações por e-mail, para se manter atualizado(a) com as informações mais recentes.

Entidades empregadoras no Reino Unido e empregados que sejam cidadãos da UE

Os cidadãos da UE a trabalhar no Reino Unido e as empresas do Reino Unido que empreguem cidadãos da UE não necessitam de fazer nada, por enquanto. Estamos a trabalhar em estreita parceria com empresas e outros para estudar o impacto que as mudanças vai ter sobre os mesmos.

Em julho de 2017, o governo pediu ao Comité de Informação para a Imigração (Migration Advisory Committee - MAC) que reunisse informações sobre os padrões de imigração da UE e sobre o papel da migração na economia global, como preparação para a nossa saída da UE. Foi pedido ao MAC que apresente o relatório em setembro de 2018 e a informação apresentada contribuirá para o desenvolvimento do sistema de imigração.

Published 7 Abril 2017
Last updated 29 Março 2018 + show all updates
  1. Guidance updated following agreement on implementation period.
  2. French, German, Italian, Lithuanian, Polish, Portuguese, Romanian and Spanish translations updated.
  3. Guidance updated following agreement on implementation period.
  4. Added link to news story "plans outlined to extend 'settled status' deal to citizens from Iceland, Liechtenstein and Norway".
  5. French, German, Italian, Lithuanian, Polish, Portuguese, Romanian and Spanish translations added.
  6. Guidance updated following agreement with the EU on citizens' rights.
  7. Guidance updated: agreement reached on EU on citizens’ rights in the UK.
  8. New information about application processes added.
  9. French, German, Italian, Lithuanian, Polish, Portuguese, Romanian and Spanish translations added.
  10. Information added about the UK government’s offer for EU citizens and their families.
  11. First published.