Speech

Queen’s birthday celebration 2019 in Brasília, Brazil: Vijay Rangarajan's speech

Her Majesty's Ambassador to Brazil, Vijay Rangarajan gave a speech to celebrate The Queen’s 93rd birthday, British music and ties that bind Brazil and the UK.

Vijay  Rangarajan

Excelentíssimos Ministros, Excelentíssimos Senadores, Excelentíssimos Deputados, senhoras e senhores, colegas, amigas e amigos, obrigado a todos pela presença.

Gostaria de falar sobre três coisas hoje. Bem rápido!

A primeira é música, a segunda é sobre algumas grandes mudanças internacionais, e a terceira é a Rainha.

Música é o tema da nossa festa hoje. Tanto britânicos quanto brasileiros têm um relacionamento intenso e especial com a música. Uma das coisas que mais me surpreendeu ao chegar no Brasil foi o vínculo musical entre Brasil e o Reino Unido.

Os Beatles estabeleceram o cenário, e assim continuam! Ed Sheeran parece estar em todos os lugares – Rosie e eu o vimos no mês passado em São Paulo, juntamente com – me parece – todas as adolescentes do Brasil.

Outros artistas britânicos estão deixando suas marcas no Brasil, como o show completamente esgotado da Lilly Allen em São Paulo na semana passado, e muitos outros que virão para o Rock in Rio em Setembro. Isso me faz lembrar da banda Queen, no Rock in Rio de 1985, quando o público brasileiro cantou “Love of my life”: um dos momentos mais bonitos da história do rock. Outro herói meu está em Brasilia hoje - Bruce Dickinson da banda Iron Maiden, que tive o prazer de conhecer em um evento de inovação aqui no Brasil, no ano passado. Outro herói pessoal, Gilberto Gil, que tem muitos vínculos com o Reino Unido, me deixou muito grato ao aceitar ser co-Presidente do Conversa Brasil – Reino Unido.

Vocês ouvirão muita música britânica hoje. E ao redor de vocês, supreendentemente, estão alguns dos nossos maiores músicos. Se vocês conseguirem identificar todos os quatro, ficaremos impressionados…

Agora, questões internacionais. Tres coisas extremamente importantes estão acontecendo envolvendo o Reino Unido e Brasil.

A primeira é a solicitação do Brasil para juntar-se à OCDE. Tem sido fantástico trabalhar com o governo brasileiro – muitos de vocês aqui – na implementação do acervo da OCDE, e ajudando nesse caminho. É uma das mudanças mais profundas no momento – para ambos OCDE e Brasil. Essas reformas nem sempre são fáceis, mas o comprometimento tem causado claro progresso. Nós apoiamos veementemente a entrada do Brasil. E em um momento em que instituições multilaterais são cada vez mais questionadas, esse é um processo internacional de grande importância.

O que me leva ao Brexit. Independente de quando ou de qual maneira sairmos da União Europeia, continuaremos promovendo a abertura do comércio e investimento dos mercados, com regras compartilhadas e padrões altos, nos interesses de uma prosperidade mútua. Não falarei mais sobre Brexit. Estamos certamente passando por uma política doméstica complexa, mas nosso interesse de trabalhar cada vez mais com o Brasil é constante.

O mesmo é verdade para o segundo assunto - Venezuela. Quando fui à Roraima no mês passado – até a fronteira em Pacaraima - eu vi em primeira mão o excelente trabalho do exército brasileiro na Operação Alcolhida, com as Nações Unidas, governo Brasileiro e muitas outras agências. O grau de integração e harmonia foi surpreendente. Assim como o nível de apoio do Brazil para essas pobres pessoas. Brasileiros devem se orgulhar do que está sendo feito. Existem lições sobre gerenciamento de crises aqui que todo o mundo poderia aprender. Mas claro que os desafios continuam, nas áreas da saúde, da interiorização, e em encontrar uma solução política que possa restaurar a paz e a democracia na Venezuela. O Reino Unido está em apoio ao Brasil para que isso aconteça.

Terceiro, e de maneira mais profunda: o desafio global de mudança climática. O Reino Unido apóia veementemente o trabalho internacional que está acontecendo nessa frente. E queremos sediar o crucial COP 26 no ano que vem, através da Presidencia do COP26 do Reino Unido em parceria com Italia. Nós somos a primeira economia do G7 a aspirar uma conquista de zero carbono até 2050 – algo que já foi legislado e adicionado como lei no Reino Unido. O Brasil é um parceiro crucial para isso: as forças dos setores brasileiros de energia e agricultura são claras, assim como é o caminho desenvolvido pelo Embrapa para uma economia cada vez menor em carbono, dando uma vantagem competitiva real. Claro que o peso diplomático do Brasil será essencial para qualquer acordo final. Estou ansioso para fazer mais nessa frente, no ano que vem, com muitos de vocês aqui. Essa é minha prioridade mais alta.

Finalmente à Rainha. Ela tem 93 anos de idade. Como a Monarca que mais governou no Reino Unido, e também como a Chefe de Estado mais antiga do país, ela é verdadeiramente notável, e a razão de estamos todos aqui hoje, celebrando seu aniversário. Ano passado foi o aniversário de 50 anos da sua incrível visita ao Brasil, em 1968 – e muito obrigado à Casa da Moeda e aos Correios Brasileiros pelas medalhas e selos comemorativos. Ela passou o seu carinho pelo Brasil para outros em sua família – com o Príncipe Harry, que muitos de vocês conheceram quando ele veio à Copa do Mundo aqui. Ele está um pouco ocupado no momento – e por isso gostaria de propor um brinde à razão disso: ao Príncipe Archie!

Um brinde também ao Brasil!

Finalmente um brinde à Rainha!

Published 10 July 2019